O médico de ontem, de hoje e do futuro

Por
O médico de ontem, de hoje e do futuro

A medicina sempre foi uma carreira admirável, inspiradora e desafiadora. É uma profissão fundamental para a melhoria da qualidade de vida das pessoas. Ser médico é um grande desafio que inspira constantemente a transformação e a inovação desse profissional.

O médico de ontem era generalista e atendia a mulher, a criança, o adulto e os idosos.  Era considerado uma das maiores autoridades de uma cidade. As pessoas tinham um profundo respeito e admiração por aquele que resolvia os quadros de enfermidades sem recurso tecnológico, prescrevendo medicamentos para que fossem manipulados nas chamadas “boticas”e amparando-se na história clínica do paciente.

Com o passar do tempo vieram as residências e começaram a formar médicos especialistas. A grade curricular universitária do ensino médico mudou muito, assim como o comportamento do profissional médico. Ele precisou se adequar às grandes mudanças, aos grandes hospitais que surgiram, ao avanço da indústria farmacêutica, ao avanço da indústria tecnológica e aos equipamentos de hoje.

Há 30 anos o primeiro equipamento que revolucionou a saúde foi o ultrassom, na área de imagem. Desta forma,o profissional precisou ir se adequando e fazendo suas especializações para acompanhar as tendências da profissão.

Hoje com a evolução da medicina, existem os médicos superespecialistas, que se capacitam com foco mais direcionado em uma determinada área, como é o caso da neurologia, cirurgia e outras especialidades complexas, que necessitam de estudos minuciosos. Estes superespecialistas, além de possuírem a formação médica,devem ter também conhecimento em tecnologia para que possam operar com os equipamentos que estão disponíveis atualmente no mercado.

Com o desenvolvimento da nanotecnologia em saúde, precisaremos trabalhar com equipamentos altamente sofisticados e certamente haverá uma preparação e atualização desses profissionais que precisam estar atentos e disponíveis para que essa evolução faça parte dessa carreira também, que sempre evolui com os avanços da medicina e da tecnologia.

O desafio do médico no passado era cuidar de diversos pacientes com todas as complexidades que surgiam. Era necessário realizar diagnóstico, tratamento, pequenas cirurgias e muitos outros procedimentos. Naquela época nem sempre havia recursos ou uma equipe médica para discutir sobre o melhor tratamento.

Houve a época das grandes epidemias de cólera, tuberculose, malária e doença de chagas, principalmente nas regiões norte e nordeste. O médico tinha que ser um profissional multifacetado pois havia poucos medicamentos e recursos de tecnologia para diagnóstico, cirurgia e tratamento. Um médico precisava de muita criatividade, desenvoltura e amor pelo seu ofício para poder desempenhar sua profissão.

Há poucas décadas vieram novos cursos da medicina, a evolução da indústria farmacêutica, dos protocolos de tratamento de câncer, das especializações e residências médicas e isso fez com que o padrão do médico melhorasse muito.

No futuro, o grande desafio é ser um profissional de ponta acompanhando todos os avanços tecnológicos e aprimorando constantemente sua capacitação dentro do setor.

Os desafios para os médicos são muito grandes porque buscam constantemente o aprimoramento e a superação. É um caminho longo de formação, passam pela universidade, residência, mestrado, muitas vezes doutorado e pós-doutorado e ainda precisam desempenhar aquilo que a sociedade espera dele.

Dentre todos os aspectos da carreira médica citados, a ética é tão importante quanto seu conhecimento formal. Trata-se de sua postura perante ao ser humano que entrega, aos seus cuidados, seu bem mais precioso que é a sua vida. A ética é um pilar fundamental para que o profissional realmente obtenha sucesso em sua carreira.

Comentários 0

Entre em sua conta para comentar.
Se você ainda não é nosso assinante, clique aqui e acesse um mês grátis!

Parceiros

Mídia apoiadora

Fique bem informado!
Receba nosso conteúdo e novidades em seu e-mail.