Doutor (a), sua marca é assinatura dos seus serviços

Por
Doutor (a), sua marca é assinatura dos seus serviços

Em um mercado cada vez mais competitivo, dinâmico e principalmente com uma crescente velocidade de informações onde as pessoas são bombardeadas com publicidade de todo tipo, fica difícil memorizar quaisquer dados. Seguem alguns números interessantes publicados em uma revista de circulação nacional, isso ainda em 2001! Uma edição do New York Times contém mais informação do que uma pessoa comum receberia durante toda a sua vida no século XVII; todos os anos é produzido 1.5 bilhão de gigabytes em informação impressa, filme ou arquivos magnéticos. Isso dá uma média de 250 megabytes de informação para cada homem, mulher e criança do planeta. Seriam necessários dez computadores pessoais para cada pessoa guardar apenas a parte que lhe cabe desse arsenal de conteúdo. Atualmente, uma família comum preenche com informações, 65 iPhones de 32 GB por ano, daqui a seis anos, preencherá 318 smartphones, segundo a EMC, empresa líder de mercado internacional de armazenamento de dados.

Enfim, é muita informação.

O que pretendo dizer é que conquistar um espaço na mente do cliente hoje em dia está cada vez mais concorrido. É preciso construir uma marca que represente tudo aquilo que você queira transmitir para seu paciente. Seus valores, sentimentos, missão, um resumo do que você se preparou a vida toda para fazer e o faz bem, ou seja, a alma da sua marca. A marca cumpre funções muito importantes, permite que seus pacientes reconheçam todo o esforço despendido para melhor atendê-los, é um elemento de posicionamento de mercado, é um facilitador na tangibilização do serviço, entre vários outros pontos positivos.A experiência em consultório pode fazer do paciente um agente disseminador da marca do seu médico.

No aspecto de marketing, é extremamente eficaz que tal experiência seja compartilhada. Quando a disseminação da experiência é feita de maneira ética, preservando o paciente, acaba por tornar-se informação de utilidade pública, onde adentramos ao posicionamento do médico no mercado no qual está inserido. Há muito conteúdo e diversas maneiras e canais de divulgação dos serviços, qualificação, know-how, produção acadêmica sem ferir as normas que regem a área médica. Mas antes de tudo isso, é preciso a criação da marca. É preciso diferenciar-se, destacar-se no mercado. Isso vale para quaisquer áreas, quaisquer profissões.

Em um universo em que o concorrente é também um “colega” pode parecer difícil empreender na carreira sem pensar estar ferindo algum código de ética, porém, no mundo em que a velocidade e quantidade de informações nos bombardeiam, é preciso fazer-se conhecido pelos pacientes. Ter uma marca, o distinguirá no mercado, não irá prejudicar um colega ou ferir preceitos da área médica. O marketing é essencial para o posicionamento do médico no mercado, irá auxiliá-lo no decorrer da sua carreira – reconhecimento, sustentabilidade, sucesso – tudo isso depende de COMO se apresentar ao seu público-alvo. Caro Doutor (a), sua marca é a assinatura dos seus serviços sendo reconhecida em qualquer lugar. Pense a respeito!

Márcio Luiz de Lima de Souza

CEO da Proxymed, especializada em gestão e marketing de médico

Comentários 0

Entre em sua conta para comentar.
Se você ainda não é nosso assinante, clique aqui e acesse um mês grátis!

Fique bem informado!
Receba nosso conteúdo e novidades em seu e-mail.